Cada vez mais emigrantes portugueses querem voltar a Portugal para investir


O  Gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora (GAID), uma espécie de “fundo público” de capital de risco para apoiar investimentos de empreendedores portugueses, já está preparado para iniciar mais um ano, com uma base de dados com sete mil micro e pequenas empresas e 66 Câmaras de Comércio. Através deste gabinete, o Governo vai apoiar emigrantes portugueses que pretendam regressar a Portugal para investirem no seu país de origem, assim como, empresários portugueses que querem investir lá fora, e já há muitos portugueses a quererem investir.

“São muitos os casos de portugueses que fazem sucesso no estrangeiro. Depois disso, a vontade de também investirem em Portugal, sobretudo nas terras de origem, é muito forte. Mais de 90% dos portugueses emigrantes que pretendem investir no seu país fazem-no nas suas terras de origem e junto das suas freguesias. É necessário apoiá-los e incentivá-los”,  explicou José Luís Carneiro, secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, ao Jornal Económico. “Existem muitos portugueses emigrados que querem investir em micro e pequenas empresas em Portugal, assim como, empresários nacionais que pretendem internacionalizar. O GAID irá dar apoio para os dois casos”, acrescentou o secretário de Estado.

O membro do Governo revelou, ainda, que se verifica, ainda que ténue, “uma estagnação” nas saídas de portugueses para fora do país e um “ligeiro aumento” do regresso de alguns. “Depois de nos últimos anos ter-se assistido a uma saída em massa dos portugueses para trabalharem lá fora, existe uma clara regressão dessa situação, mesmo que seja ainda em números diminutos”, afirmou. Mas, para eles regressarem, alerta, “é necessário conhecerem os canais que o Estado oferece e as oportunidades que existem, saberem onde investir para ter rentabilidade e quais as instituições e os canais institucionais aos quais podem recorrer para realizarem negócios seguros”. Para que os investidores percebam melhor o projeto, o secretário de Estado adiantou, ainda, que está a ser preparado para 2017 um Guia Técnico de orientação e informação.

O GAID conta já com 131 gabinetes de apoio ao emigrante em Portugal, sendo que 127 estão integrados em municípios e quatro em juntas de freguesias. Dos emigrantes que já regressaram, só para a regeneração urbana contabilizou-se um investimento de cerca de 100 milhões, sendo que dois milhões foram para Lisboa. Com o GAID, o Governo pretende, assim, continuar a incentivar o investimento português na economia nacional.

Related posts

Leave a comment