Lisboa é a Capital Ibero-Americana da Cultura 2017


Lisboa foi escolhida pela segunda vez, pela União das Capitais Ibero-Americanas (UCCI), para ser a Capital Ibero-Americana da Cultura. A primeira foi em 1994, no mesmo ano em que foi Capital Europeia da Cultura. Para o assinalar, até 22 de dezembro deste ano, a capital portuguesa vai ter mais de 150 atividades, nas quais participarão centenas de artistas e produtores nacionais e ibero-americanos.

A  exposição Al final del paraíso, do artista mexicano Démian Flores, faz parte da programação da iniciativa Passado e Presente — Lisboa, Capital Ibero-Americana de Cultura 2017, e encontra-se na galeria do Padrão dos Descobrimentos até ao dia 2 de abril deste ano. Esta mostra aborda a temática da relação colonial entre os países ibéricos e a América Latina. Arpad Szenes e Vieira da Silva, os anos do exílio no Brasil (1940-1947) é outra das exposições mais relevantes da programação , e vai ser inaugurada a 4 de março. Esta retrata o impacto que o exílio do casal de artistas, no Rio de Janeiro, teve na vida de cada um. A de Arpad tornou-se mais íntima e familiar, a de Vieira reflete as suas inquietações: a dor da guerra, o absurdo da condição humana, o desenraizamento e a saudade.

Além de exposições e concertos, poderá assistir, ainda, a peças de teatro, visitas guiadas, residências artísticas, exibição de filmes, colóquios, workshops, um festival de arte urbana, espetáculos de dança, um festival de narração oral e uma feira do livro de fotografia. Pode consultar toda a programação aqui.

Related posts

Leave a comment