Esqueça o mundo. Aqui a relação é entre si e o prato.


Normalmente as refeições, pelo menos em Portugal, estão associadas a um momento de convívio e de muita conversa, não fossemos nós tradicionalmente faladores. No Japão, na China e, mais recentemente, nos Estados Unidos, está-se a fazer exatamente o contrário. Não manter conversas, não falar com ninguém – só quando se chega ao restaurante e se faz o pedido – e comer em silêncio, são as regras dos restaurantes Ichiran.

O objetivo da cadeia de restaurantes, muito popular no Japão e em Hong Kong, com espaços abertos 24 horas por dia, é permitir que os clientes tirem o maior prazer das refeições, desligando-se do mundo, dos dispositivos eletrónicos e das redes sociais, e vivendo uma verdadeira experiência zen. De acordo com os autores do conceito, desta forma, os clientes focam-se mais nos pratos, o que aumenta o prazer que retiram da comida.

Aqui não há mesas nem grupos. Cada cliente tem um cubículo só para si e, uma vez lá dentro, a proposta é que se concentrem no sabor dos alimentos, o que permitirá elevar a experiência sensorial da refeição. Depois, os pedidos são feitos e servidos por empregados que os clientes não vêem e com quem não interagem.

Nos restaurantes Ichiran come-se “o melhor ramen do mundo”, para alguns críticos gastronómicos. Para além do ramen, uma espécie de canja oriental, feito com osso de porco, há noodles e algumas coberturas com molhos.

Related posts

Leave a comment